sexta-feira, 17 de abril de 2015

1°Desafio 80 Km - Itabirito - 2015



VENHA DESAFIAR OS SEUS LIMITES!
Não é competição. 
Vale qualquer modelo de bicicletaData: 17 de  maio de 2015 (domingo)
Concentração: 6:00 h da manhã - Praça da Estação - Itabirito - MG (Praça Dr. Guilherme)
Largada: 8:00 h da manhã.
Chegada: no máximo 6 horas após a largada.

Esta é uma prova de desafio de incentivo à prática regular de atividade física em benefício da saúde e do bem estar.
O 1º DESAFIO 80 Km de Ciclismo Itabirito/ 2015 tem como objetivo realizar um percurso de 80 km em no máximo 6 horas.
É realizado por meio de uma confraternização saudável entre atletas, ciclistas amadores e desportistas que tentam mobilizar o maior número possível de pessoas a praticar o esporte ciclismo neste dia.
Os vencedores são todos os participantes que, além do corpo, exercitam integração, criatividade, liderança e espírito de equipe.
Inscrições limitadas a 300 atletas, todas serão online e não faremos no dia do evento, nem por e-mail e nem por telefone. Não perca o prazo!


"Zelar pela boa imagem do ciclismo e pela preservação da natureza no percurso".

Demerson Furtado Pulis Gomes
Diretor
Pedal do Frango Eventos

1°- Programação:
Entrega de numeral, pulseiras e confirmação de inscrição de 6:00 h às 7:30 h. Encerramento da secretaria 7:30 h
Congresso técnico e reunião com motoristas de carro de apoio de 7:35 às 7:50 h
Largada: 8:00 h
Término: 14:00 h
Entrega dos troféus: assim que cada um concluir o desafio.


2°- Inscrições:
Evento limitado em 300 inscritos
Valor: 
Boleto bancário até o dia 08/05/2015 - R$ 65,00 (R$5,00 será destinado à doação) ou assim que cobrir as vagas. Após esta data, caso tenha disponibilidade de vagas, faremos inscrições através de depósito bancário no valor de R$120,00.
-Na confirmação da inscrição é obrigatório levar assinado o termo de responsabilidade ou perderá o direito de participar e não será devolvida a inscrição.
-Não faremos reserva de inscrição
-Não faremos inscrição por telefone
-As inscrições serão somente online

Link das inscrições: http://fmc.org.br/c4anywhere/eventos/1desafio80km_ciclismo_59.php

3°- Doações: `
Na segunda feira após o evento será comprado os alimentos e entregues em uma entidade assistencial de Itabirito.

4°- Sugestão da organização:
Por se tratar de um desafio de longa duração, aconselhamos o uso de uma bolsa de hidratação (tipo Camelbak), levar sua alimentação para durante o desafio e levar um veículo de apoio devidamente identificado junto à organização. Reunião com os motoristas 10 minutos antes da largada. Vale qualquer tipo de bicicleta e não é obrigado a completar o percurso todo. Pedale até onde aguentar lembrando que terá a mesma distância para fazer de volta.

5°- Regulamento:
1- Proibido transitar fora do acostamento. Risco de acidente gravíssimo.
2- Não é permitido a nenhum grupo fazer deste evento uma competição
3- Obrigatório uso de capacete
4- Obrigatório levar 3 câmaras de ar sobressalente, bombas e kit cola. Não incomode o seu parceiro.
5- Obrigatório andar em fila única ou dupla
6- Proibido uso de fones de ouvido
7- Proibido uso de meias de compressão.
8- Proibido o uso de celular durante o evento
9- Obrigatório o descarte de lixo somente em frente ao ponto de apoio
10- Será fornecido água e frutas pela organização na concentração
11- Obrigatório levar sua alimentação durante o desafio´

12- É de responsabilidade de cada participante ter convênio médico para assistência/ cobertura em caso de acidente. As equipes médicas que apóiam o evento prestarão somente os 1°socorros e encaminhamento do acidentado para hospital mais próximo. À partir daí termina nossa responsabilidade. As despesas hospitalares ocorrerão por conta do mesmo (atleta). 
13- Caso necessite da ambulância ela será acionada através do número de telefone 
(31) 8817 1472 Frango (31) 8826-9903 Eliane
14- Todos os atletas estarão segurados durante o evento.
15- Todos os atletas inscritos receberão troféu de participação independente de completar o percurso.
16- A inscrição, em hipótese nenhuma poderá ser transferida para outro participante ou para outro evento e nem devolvida por nenhum motivo.
17- Não é obrigatório andar no pelotão. Tem a opção de fazer sozinho ou em grupo.
18- As equipes ou grupos poderão colocar tendas na concentração e as montagens deverão ser feitas antes da abertura da secretaria (antes das 7:00 h)
19- Patrocinadores e apoiadores: todos terão direito de colocar tendas, balões ou qualquer material de divulgação na concentração.
20- Após 6 horas de evento sairá da concentração um caminhão ou um micro ônibus que fará todo o trajeto recolhendo possíveis ciclistas desistentes ou com avarias que não tenham carro de apoio
21- Não há a responsabilidade por parte da organização em resgatar no percurso ciclistas que, por qualquer que seja o motivo, tenham abandonado o desafio. Este resgate poderá ser realizado pela organização, dependendo da disponibilidade e itinerário dos veículos, não cabendo a esta e seus voluntários a responsabilidade por qualquer dano que possa vir a ser causado ao equipamento durante o transporte, independente do motivo.
22- O carro de apoio: é expressamente proibida sua parada e deslocamento no acostamento ao longo do percurso por qualquer motivo. Caso insista neste procedimento será multado pela PRE.Este veículo deverá ficar posicionado em postos de gasolina, ruas transversais, descampados devidamente acertado com o seu atleta ou grupo que irá apoiar. 

23- É obrigatório os motoristas de carros de apoio estarem presentes em reunião que acontecerá de 7:55 h às 8:00 h. Caso não compareça não será permitido o acompanhamento do seu atleta. 
24- Todos os carros serão devidamente identificados com adesivos da organização
25- Todo atleta será identificado por um numeral e uma pulseira colorida que dará acesso à área de concentração, hidratação no ponto de apoio e alimentação (maçã e banana) na chegada.
26- Vetada a participação de menor de idade.
27- O evento acontecerá independente das condições climáticas
28- Reservo o direito de usar todas as fotos e filmagens 
29- Obrigatório imprimir e levar o termo de responsabilidade assinado (se encontra no site da Inscrição). Enviaremos por e-mail.
30- Qualquer dúvida entre em contato em horário comercial pelos números:
(31) 3454-2121 Frango ou Eliane
(31) 8817-1472 Oi (Frango)
(31) 8826-9903 Oi (Eliane)

5°- Percurso
Largada e chegada:
Largada da Praça da Estação da cidade de Itabirito. Ir em sentido à MG. Seguir até o trevo de Ouro Preto e retornar. Em cima do trevo haverá um ponto de apoio com água. Faça o seu abastecimento e volte à estrada com muito cuidado, pois se trata de uma rodovia estadual. Haverá uma placa amarela indicando o ponto de retorno.

6- Altimetria 

Patrocínio:
Atletas inscritos

Apoio:

Prefeitura de Itabirito - MG
Federação Mineira de Ciclismo
Rogério Pacheco Atleta
GWR - Ferramentas em geral e peças para tratores
Delta Service - Manutenção e assistência técnica em computadores


Realização:
Pedal do Frango Eventos

Supervisão
Liga Mineira de Ciclismo - LMC



quinta-feira, 16 de abril de 2015

Empreendedor cria bicicleta para vender café e doces

Para criar o Oliver Brown Coffee Shop, Guilherme de Oliveira investiu cerca de R$ 7 mil e tem previsão de faturar R$ 80 mil

Por Fabiano Candido com Gabriel Lellis - 15/04/2015
A food bike vende não apenas café, mas também comidinhas como macarons e outros doces (Foto: Reprodução/Instagram)
Investir pouco em algo inovador. Esse foi o objetivo que o empreendedor Guilherme de Oliveira, 25, se deu antes de criar o Oliver Brown Coffee Shop – um food bike especializado em café. O negócio, que já funciona, tem previsão de faturar R$ 80 mil neste ano. 
A ideia surgiu no começo de 2015, quando Oliveira se cansou de trabalhar no mercado financeiro. Ele queria empreender em um negócio novo no Brasil, mas que não precisasse de muito capital inicial.
Junto com os sócios Thiago Duarte e Carla Duarte, ele investiu R$ 7 mil no desenvolvimento da bike, que hoje vende não apenas café, mas também alguns tipos de comida, como o macarons.“Minha ideia surgiu em uma viagem para Ilhabela. Eu vi uma bicicleta que vendia paletas mexicanas. O negócio de sorvetes era caro pra mim, mas resolvi adaptar o conceito da bike para outro tipo de público”, afirma o empreendedor.
O Oliver Brown foi inspirado no conceito de “take away”, usado em cafeterias estrangeiras como o Starbucks. Segundo Oliveira, o público-alvo desse tipo de negócio é composto predominantemente por pessoas que estão no horário de trabalho e compram a comida para consumir durante o expediente. Além disso, a bike conta com funcionários poliglotas para atender a demanda de estrangeiros que trabalham no Brasil.
A opção por investir em um food bike não se deve apenas aos custos, mas também a uma questão de mobilidade para o negócio. Além de mais barata que um food truck, a bicicleta pode ser estacionada facilmente em qualquer tipo de lugar sem atrapalhar o trânsito de carros ou de pedestres - ampliando desta forma a quantidade de lugares possíveis para fazer negócio.
Hoje, o Oliver Brown está instalado em um ponto fixo da Vila Olimpia, na zona sul de São Paulo, e atende uma média de 50 clientes. O criador da food bike negocia com universidades para levar a food bike para atender estudantes. Segundo Oliveira, a meta é transformar o negócio em uma franquia ainda neste ano.
http://revistapegn.globo.com/Banco-de-ideias/Alimentacao/noticia/2015/04/empreendedor-cria-bicicleta-para-vender-cafe-e-doces.html

Metade da população de Amsterdã se desloca de bicicleta

Após políticas de desestímulo ao uso de carros, mobilidade na capital holandesa se tornou referência mundial

Foto: Divulgação/www.iamsterdam.com/Edwin van EisMetade da população de Amsterdã se desloca de bicicleta
Quando o assunto é mobilidade urbana, a capital da Holanda pode ser considerada um dos mais promissores exemplos do mundo. O principal meio de locomoção em Amsterdã é a bicicleta. Para uma população de 800 mil habitantes, existem 800 mil bicicletas contabilizadas na cidade. E, deste número, 50% da população faz a totalidade dos seus deslocamentos utilizando somente o veículo não-motorizado. 
O bom modelo da cidade foi debatido durante o III Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável, ocorrido semana passada, em Brasília (DF).

Em Amsterdã, a elaboração do plano local de mobilidade se deu a partir da integração das secretarias de Transportes, Habitação e Meio Ambiente. Essa iniciativa facilitou o planejamento público, principalmente em relação à limitação dos carros sobre outros meios e à melhoria do transporte público, além do aumento do número de deslocamentos a pé e de bicicleta.

Após fortes políticas de desestímulo ao uso dos veículos motorizados, além do crescimento do número de ciclistas, a cidade teve redução tanto no uso dos automóveis quanto no do transporte público, que é o mais preferido entre os turistas. As políticas para os automóveis são rígidas: para sair de casa de carro e parar em um estacionamento, o motorista paga, em média, cinco euros por hora. 

Por isso, em Amsterdã, as pessoas costumam ir trabalhar de bicicleta. Diariamente, são 2,2 milhões de quilômetros trafegados na cidade, que contabiliza três mil estacionamentos para bicicletas. Em alguns casos, eles possuem até três andares. Nas escolas, a cultura do ciclismo é disseminada desde a infância. As crianças fazem provas práticas de condução do transporte sobre duas rodas. 

“Se você quer ser uma cidade sustentável, tem que apostar em mobilidade urbana. Amsterdã optou por bicicletas e não por carros. É muito difícil uma cidade ser evoluída se o uso do automóvel não for desencorajado”, acredita a representante do governo holandês Petra Delsing. A velocidade média de tráfego na cidade é de 15 km/h, seja de trem, carro ou bicicleta.  

 

Evie Gonçalves
Agência CNT de Notícias
http://www.cnt.org.br/Paginas/Agencia_Noticia.aspx?n=10178

Venda de bicicletas cai, mas elas estão mais sofisticadas

Caio Pimenta/SPTuris


Pesquisa constatou crescimento das categorias de maior valor agregado, como bicicletas para mobilidade urbana
Karin Salomão, de EXAME.

São Paulo - Enquanto as bicicletas básicas do interior estão sendo trocadas por motos, surge uma nova parcela da população em busca de modelos para transitar na grande cidade.

É isso o que mostra uma pesquisa inédita feita pela Rosenberg Associados e a Abraciclo (Associação Brasileira de Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares).

Segundo a pesquisa "O uso de bicicletas no Brasil: Qual o melhor modelo de incentivo?", a frota brasileira é de 70 milhões, mas a venda de bikes caiu nos últimos anos.

Em 2008, o Brasil vendia 5,5 milhões de bicicletas. Cinco anos depois, o número caiu para 4,3 milhões de unidades.

A queda é mais expressiva no segmento das básicas – que são modelos mais robustos e baratos, usados principalmente no interior e pela população de baixa renda. De 2,58 milhões de unidades, em 2005, foram vendidas 1,35 milhões em 2013.

A explicação é que a população está trocando a bike pela moto, principalmente nas periferias de grandes cidades.

“Conforme a renda vai aumentando, a proporção de pessoas que caminham ou usam a bicicleta para ir ao trabalho vai diminuindo”, diz Thais Zara, economista responsável pelo estudo.

Agora, a Abraciclo quer levar o mercado a dar um salto, focando em um novo público e em modelos mais elaborados.
Mobilidade Urbana

A associação percebeu um crescimento das categorias de maior valor agregado, como bicicletas para recreação, esporte e, mais importante, mobilidade urbana. Somados, esses segmentos representavam 26,6% do mercado em 2006. Em 2013, já eram 40,6%.

Os modelos que se encaixam na categoria mobilidade urbana são desenvolvidos especialmente para o trânsito nas grandes cidades. São leves, com pneus próprios para asfaltos, e adequadas para integração com outros modais de transporte, como o metrô.

Há cinco anos, o segmento era praticamente inexistente. Hoje, ainda que represente apenas 0,3% do mercado, é o que tem maior potencial para ajudar o trânsito e a vida nas cidades.

Entre as vantagens de usar esse modo de transporte, o estudo cita a agilidade, benefícios para saúde, eficiência energética, menor emissão de poluição e gastos com infraestrutura.

Além disso, tem o menor custo entre os meios de transporte – excluindo caminhadas. O gasto de um automóvel movido a gasolina – o mais caro – é de R$ 0,73 por quilômetro rodado. Já uma bicicleta custa R$ 0,12 na mesma distância.
Incentivos

A partir destas considerações, a pesquisa buscou listar formas para incentivar o uso da bicicleta como transporte urbano.

Já de cara, descarta diminuir o preço ao cortar impostos de importação ou de bens industriais. A pesquisa afirma que a maioria dos produtos é feitos na Zona Franca de Manaus e já estariam isentos do imposto de importação – dos modelos de maior valor agregado, são 750.000 de um total de 1,74 milhão.

Além disso, o preço da bicicleta, que poderia ser um impeditivo, não é tão alto. Pelo contrário, o valor pago pelo equipamento por aqui caiu 10%, entre julho de 2006 e novembro de 2013.

No Brasil, o preço médio dos 10 modelos mais vendidos é de R$ 730. Já na Alemanha, país onde a população usa muito mais a bicicleta, a média dos 10 modelos mais populares é de R$ 2.300.

Na Holanda, o preço gira em torno de R$ 1.985. Cabe ressaltar que esses valores foram compilados com um câmbio de R$ 2,30/US$, no meio do ano passado.

O incentivo deveria partir, então, do governo, com a criação de políticas públicas, condições adequadas e introdução de uma “cultura da bicicleta”. Aumento das ciclovias e bicicletários foram algumas das medidas citadas na pesquisa.

Fonte: http://exame.abril.com.br/negocios/noticias/venda-de-bicicletas-cai-mas-elas-ficaram-mais-sofisticadas

Velódromo de Americana - TIMELAPSE a noite

Copa Promosom

 Últimos dias para inscrição com desconto

            Os ciclistas interessados em participar da 25ª edição da Copa Promosom de ciclismo deverão se apressar, pois as inscrições com desconto encerram-se na próxima sexta-feira, dia 17.
            A pontuação máxima no ranking nacional, a premiação atrativa e a estrutura fazem da Copa Promosom uma das competições mais concorridas do ciclismo brasileiro.
            Os organizadores pedem a compreensão dos atletas e dirigentes na questão do prazo e justificam: "Temos várias providências antecipadas embasadas nas inscrições. Não se trata apenas de garantir a arrecadação das inscrições, mas principalmente a preocupação em garantir um evento com qualidade e alto grau de profissionalismo."
A Copa Promosom será realizada dia 03 de maio em Varginha. As disputas terão início às 9h e contará com seis categorias, sendo quatro categorias válidas pelo ranking nacional com pontuação máxima - Elite Masculino, Elite Feminino, Master A e Master B, além das categorias Open Speed e Open MTB.
A Copa Promosom de Ciclismo 2015 é uma realização do Jornal PODIUM em parceria com a Prefeitura Municipal de Varginha, supervisão da FMC e CBC, patrocínio Governo de Minas, EPTV, Itatiaia Sul de Minas, apoio da Federação Paulista de Ciclismo e Liga Mineira de Ciclismo.
            Mais informações no site copapromosom.com.br ou pelos telefones (35) 3015.4422 ou 8838.4289.

terça-feira, 14 de abril de 2015

Google está testando mudanças na interface do Maps, segundo imagens

Um novo teste A/B parece estar sendo realizado pela Google em seu aplicativo Maps, segundo relata o site Android Police, com experimentos relativos a um novo menu de navegação e atualização em elementos de ciclismo e tráfego.
O novo ícone de menu está embutido na barra de navegação, seguindo o padrão adotado pelo Material Design para gaveta de navegação.
Também consta nas capturas de tela um ícone de navegação de "sinal de estrada", incorporado na mesma barra. Ciclismo e Trânsito receberam legendas com novo design para revitalizar o visual, e os painéis de informação foram separados da interface de pesquisa e centralizados na parte inferior da interface do usuário.
O painel de tráfego agora exibe os destaques do dia selecionado com um botão circular, e conta com um controle deslizante no estilo Material, juntamente com uma legenda mais fácil e rápida de ler.
Como sempre acontece em testes A/B dos aplicativos, não podemos prever quando as alterações serão implementadas oficialmente, mas é possível que nas próximas atualizações a interface ganhe essas novidades.
fonte:http://www.tudocelular.com/android/noticias/n52932/google-testa-novidades-interface-maps.html

BMW lança bike inspirada no esportivo M4

M-Bike Cruise contará com apenas 500 unidades e estará disponível apenas em algumas lojas da marca por cerca R$ 4,5 mil
FOTOS: DIVULGAÇÃO












A BMW lança novas linhas de bicicletas anualmente, há mais de 60 anos

Amantes da marca de logotipo tricolorBMW também poderão levar para suas garagensbicicletas M-Bike Cruise.

Para adquirir umas das 500 unidades produzidas, o interessado deve desembolsar cerca de € 1.400, valor correspondente a cerca de R$ 4,5 mil.

Vale ressaltar que a edição limitada foi feita inspirada no esportivo M4 e será lançada em breve na Europa, disponível apenas em algumas lojas da marca.

A bicicleta de cor amarelo metálico (Austin Yellow Metallic), alusiva à divisão M da BMW, vem com quadro leve de alumínio e fibra de carbono, que a tornam leve e resistente. 


A assinatura da Shimano também estampa os freios hidráulico de cada uma das unidades, que contam com placa de identificação e certificado.


fonte: http://www.opovo.com.br/app/economia/carrosemotos/2015/04/13/noticiascarrosemotos2014,3422040/bmw-lanca-bike-inspirada-no-esportivo-m4.shtml

Caminhos de Ferro franceses fazem queixa contra ciclistas

Caminhos de Ferro franceses fazem queixa contra ciclistas
legenda da imagemQueixa no ciclismo
Nacho Doce - REUTERS

A direção dos caminhos de ferro franceses (SNCF) pediu esta segunda-feira à polícia para agir contra a atitude “irresponsável” dos ciclistas da Paris-Roubaix que não respeitaram um cordão de segurança, cruzando uma linha segundos antes da passagem de um comboio.

A SNCF fez uma queixa oficial à Procuradoria-Geral francesa, dizendo que a ação de um grupo de corredores na clássica podia ter resultado numa tragédia mortal.

Na tarde de domingo, a pouco mais de 87 quilômetros do final da Paris-Roubaix, o pelotão deparou-se com cancelas fechadas numa passagem de nível, com vários corredores a optarem por atravessar para o outro lado, desrespeitando a indicação de um agente da autoridade.

"Vários corredores, deliberadamente e contra as regras de segurança, atravessaram uma barreira de segurança fechada. Milhões de telespetacdores viram esta ação extremamente grave e irresponsável, que poderia ter originado uma tragédia, em direto”, alegou a SNCF em comunicado.

O último dos ciclistas que atravessou a barreira policial fê-lo oito segundos antes da passagem de um TGV (comboio de alta velocidade).

Os organizadores da clássica, conhecida como ‘Inferno do Norte’, consideraram que os primeiros atletas a atravessar a passagem de nível, nos quais estava o vencedor John Degenkolb, não conseguiram parar de imediato, quando a cancela caiu.

“Não foi possível para os corredores da frente parar. O pelotão estava a 10 metros quando a cancela começou a fechar”, defendeu Guy Dobbelaere, presidente do júri de comissários.

A União Ciclista Internacional (UCI) reagiu hoje, em comunicado, lembrando que a segurança deve ser um critério primordial nas provas.

“Depois de dois incidentes extremamente preocupantes que aconteceram na última semana, quer na Volta ao País Basco, quer na Paris-Roubaix, a UCI gostaria de reiterar que a segurança deve ser, em todas as ocasiões, a prioridade número um de todos os envolvidos numa corrida de ciclismo”, diz a nota.

A federação internacional assegurou ainda que está a encarar “muito seriamente” os dois incidentes – na Volta ao País Basco, mecos colocados nos metros finais de uma etapa e mal assinalados provocaram uma queda grave – e prometeu que vai investigá-los, de modo a tomar eventuais sanções.
fonte:http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=820009&tm=134&layout=158&visual=49

Ciclistas sofrem acidente em seletiva para Copa Nordeste

13 tecnologias que estão transformando a bicicleta

As magrelas estão dominando todos os espaços

São Paulo – Não é novidade que as bicicletas estão ocupando as ruas das cidades brasileiras. Não importa o modelo, elas são objetos de consumo de qualquer pessoa que se preocupa com o meio ambiente e com um trânsito menos caótico.

Nos últimos anos, devido ao aumento no interesse desse meio de transporte e a construção de ciclovias, várias empresas começaram a desenvolver produtos que melhoram o desempenho da magrela e, consequentemente, o cotidiano do ciclista.


Sabendo da demanda de informações sobre o assunto, nós fizemos uma galeria para mostrar quais são os últimos avanços tecnológicos na área.
As magrelas estão dominando todos os espaços

São Paulo quer aumentar número de emprestimos de bicicletas


abril 14, 2015
image
A prefeitura de São Paulo tem planos de mudar o sistema de compartilhamento de bicicletas. Segundo o portal “Mobilize“, foi lançado um “Chamamento Público” para empresas interessadas em operar e patrocinar o sistema.
A administração municipal quer melhorar a qualidade, ampliar o atendimento, estimular a integração com o transporte público e atender as regiões com maior demanda de usuários.
“Não se trata de uma licitação, mesmo porque não há base legal para isso”, disse a arquiteta Suzana Nogueira, coordenadora de Planejamento Cicloviário da CET. Segundo ela, há um projeto de lei em tramitação na Câmara que – se aprovado – permitirá a abertura de um processo licitatório, talvez com lotes, por regiões da cidade.
A prefeitura quer até 2024, que a cidade tenha bicicletas compartilhadas em toda a cidade, integradas com o transporte público, permitindo a instalação de estações de bicicletas nas estações do metrô. “A negociação com o governo do Estado já está bem avançada, mas decidimos fazer antes os ajustes no sistema para dar sequência ao projeto com a Companhia do Metrô”, explicou Suzana.
“Os dois modelos que já estão em São Paulo mostraram que a cidade acolheu bem e precisa de um sistema de bikes públicas, principalmente como um modo complementar aos grandes sistemas de mobilidade. Mas, o modelo atual não vai permitir que o sistema seja ampliado para todas as regiões da cidade”, concluiu Suzana Nogueira.
Com as informações de Mobilize
Renato Lobo

Renato Lobo

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.
fonte:http://viatrolebus.com.br/2015/04/sao-paulo-quer-aumentar-numero-de-emprestimos-de-bicicletas/

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Pininfarina, inspirada nos anos 30



É requintada, esbelta e sofisticada. Chama-se Fuoriserie e é uma bicicleta da Pininfarina, uma empresa de design que trabalha com a Ferrari há sessenta anos.

Paris lança plano para se tornar “capital da bicicleta”

Lúcia Müzell
O ciclismo já faz parte do cotidiano dos parisienses, mas a prefeitura de Paris quer ir muito além: está determinada a transformar a cidade na capital mundial da bicicleta. A prefeita socialista, Anne Hidalgo, lançou um plano de ação até 2020, que inclui a diminuição do espaço para os carros nas ruas e a abertura de vias exclusivas para os ciclistas.
Estacionamentos fechados para bicicletas serão instalados em Paris, para aumentar a segurança.
O objetivo é triplicar a quantidade de trajetos realizados a bicicleta, passando dos atuais 5% para 15%. Paris deverá contar com o dobro de vias ciclistas, com 1.400 quilômetros exclusivos.
Além disso, alguns dos eixos centrais da capital francesa, como a rue de Rivoli, cederão uma faixa para as bicicletas. A ousada proposta visa atender a uma antiga reclamação dos ciclistas parisienses, a de que os motoristas desrespeitam a convivência mútua com as bicicletas.
“O mais importante é acabar com todos os obstáculos ao ciclismo. As pesquisas mostram que muita gente diz que gostaria de andar mais de bicicleta, mas ou tem medo do tráfego intenso e não se sente à vontade em meio à circulação dos carros, ou simplesmente tem medo que a bicicleta seja estragada ou roubada enquanto estiver na rua”, afirma o prefeito-adjunto de Paris Christophe Najdovski, que responde pela pasta dos Transportes.
Investimento inédito
A prefeitura promete instalar estacionamentos mais seguros para as bicicletas nas ruas. No total, o plano terá um investimento pesado do governo municipal, de € 150 milhões em cinco anos. O valor é equivalente ao gasto por Amsterdã, uma referência mundial na adaptação do espaço público para os ciclistas. A diferença é que a política holandesa se iniciou nos anos 1970.
Para compensar o atraso, a capital francesa quer implantar a ambiciosa rede “Express vélo”, que terá vias de mão dupla para os ciclistas de norte a sul, de leste a oeste e acompanhando o curso do rio Sena, que corta a cidade.
“A bicicleta é um modo eficiente de transporte, econômica e muito boa para a saúde e o meio ambiente. Cada um de nós tem, potencialmente, a chance de começar a usá-la”, observa Najdovski. “A abertura para o desenvolvimento da bicicleta nas grandes cidades é enorme.”
Tudo menos carro
O prefeito-adjunto ressalta que a cidade é densa, com distâncias curtas, o que facilita a adoção de novos hábitos pelos parisienses. Nos últimos anos, a vida dos motoristas se tornou cada vez mais difícil nas ruas da capital, resultado de uma política deliberada do governo municipal para estimular o uso dos transportes públicos e das bicicletas.
O número de vagas de estacionamento público para carros despencou e a velocidade máxima autorizada caiu para 30km/h em várias partes da cidade. As medidas vão se acentuar até 2020, segundo a prefeitura, para propiciar mais segurança para os ciclistas. A velocidade poderá chegar a 50km/h em apenas 10% das ruas parisienses.
“O que é preciso entender é que a cidade do século 21 terá uma mobilidade sustentável, onde diferentes meios de transporte compartilham o mesmo espaço. Não estamos mais no século 20, quando o carro era o único modo de transporte na cidade”, ressalta.
O “Plano Vélo” poderá ajudar a capital francesa a lutar contra um problema crescente, o da poluição por partículas finas emitidas por carros e ônibus. Por enquanto, a estimativa de impacto das novas medidas na poluição atmosférica ainda não foi estabelecida
http://www.portugues.rfi.fr/geral/20150409-paris-lanca-plano-para-se-tornar-capital-da-bicicleta

Novo recorde de 223 km/h em bicicleta na neve

O francês Eric Barone é agora recordista de velocidade em bicicleta em terrenos com neve.

terça-feira, 7 de abril de 2015

E.T.O Extra Terrestre (1982) HD Pedalando no Céu

Bicicleta futurista tem rodas sem raios e dobra como guarda-chuvas

Sexta, 03 de Abril de 2015 - 15:00
Fonte: Estadão
Foto: Divulgação
Invenção da roda sem raios: simplicidade em favor da mobilidade.
Um engenheiro italiano desenvolveu um protótipo de uma bicicleta com rodas sem raios que pode ser dobrada como se fosse um guarda-chuvas. Feita de alumínio, a bicicleta foi criada por Gianluca Sada, que patenteou o sistema inovador de aros que dispensa os tradicionais raios das rodas comuns de bicicletas e motocicletas. 
A invenção é resultado de uma parceria com a Fonderie e Officine Meccaniche Tonno com a incubadora de empresas inovadoras de Turim. Ainda não há informação sobre o preço, mas a bicicleta sem raios pode entrar em produção industrial ainda este ano, segundo o inventor.
“A ideia surgiu quando vi uma criança brincando com um brinquedo velho que tinha uma roda sem raios, e então eu pensei que a chave para resolver o problema da portabilidade e usabilidade seria revolucionar o aro”, explicou  Gianluca Sada.
http://www.acritica.net/index.php?conteudo=Noticias&id=142705

segunda-feira, 6 de abril de 2015

VOLVO LIFEPAINT



Spray reflexivo para iluminar bicicletas à noite. Que tal?

Publicado em 03/04/2015, Às 12:48

bicicleta-volvo-lifepaint-gif



Pensando na segurança dos ciclistas urbanos, a fabricante de automóveis sueca Volvo desenvolveu um spray que pode ser aplicado sobre a bicicleta e roupas para chamar a atenção das pessoas nas pedaladas noturnas. O spray, chamado Life Paint, é transparente durante o dia, mas com o farol dos automóveis ele brilha. O efeito dura cerca de duas semanas. O produto esta em fase de testes. Caso tenha sucesso nas vendas, será lançado em outros países.



trio-volvo-lifepaint





O Spray Life Paint foi feito inicialmente para tornar as pedaladas mais seguras, mas pode ser aplicado em outros materiais como roupas, sapatos, carrinhos, mochilas e até mesmo coleiras de cachorro sem danificar o material onde for pulverizado. LifePaint dura cerca de 10 dias após a aplicação e também é lavável. Só não sabemos, ainda, o valor.

Confira o vídeo institucional, divulgado pela Volvo